Passar para o Conteúdo Principal

Ajude a decidir investimentos ambientais na região

08 de Fevereiro de 2024

No âmbito do processo de criação da futura Estratégia Nacional de Investimento Verde, designada de Novo Pacto Verde (NPV), a Secretaria Geral do Ambiente, Fundo Ambiental e em parceria com a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral, Câmara Municipal de Sines e Sines Tecnopolo, coorganizam uma sessão de trabalho no Auditório do Sines Tecnopolo – ZIL II, pelas 9h30, no dia 16 de fevereiro.  

Este é uma sessão aberta a cidadãos, poder local, organizações da sociedade civil, academia e empresas.

No seguimento do compromisso da Lei Orçamental para 2023, e decorrente do Despacho n.º 3926/2023, de 29 de março, promoveu-se a criação de uma estratégia de longo prazo para o investimento verde em Portugal, o Novo Pacto Verde (NPV).

Visando constituir um plano de investimento estratégico e regenerativo de longo prazo de suporte à transição ambiental em Portugal, o NPV irá identificar os setores-chave e as soluções que permitem fazer face à emergência climática, assegurando, nomeadamente, a existência de infraestruturas, competências e processos adequados para os desafios atuais e futuros, a solidez da qualificação e da formação da população, a criação de empregos verdes, valorizando a coesão territorial e a valorização do capital natural.

No seguimento da concretização do despacho, a taskforce (Unidade de Missão) criada para coordenar este processo, composta, entre outros, por representantes dos vários ministérios, academia e organizações da sociedade civil, tem vindo ao longo do ano de 2023 a identificar o contexto atual português em termos de investimento público ambiental, mapeando, ao mesmo tempo, os setores-chave cujo futuro investimento público permita uma transição exponencial para um país mais verde e justo.

No âmbito deste trabalho, foram identificados 6 grandes temas: 

  1. Qualidade de vida com a Natureza;
  2. Cidadãos ativos e capacitados para a transição verde e justa;
  3. Pacto para a água;
  4. Mobilidade coletiva, ativa e partilhada, acessível a todas as pessoas;
  5. Energia Verde para todos;
  6. Pessoas e territórios seguros e adaptados às alterações climáticas.

Inspirado pelo Pacto Verde da União Europeia, o NPV pretende apresentar uma visão estruturada de longo prazo (2030), com propostas discutidas, consensualizadas e amplamente partilhadas e defendidas pela sociedade portuguesa, identificando-se desígnios comuns, necessidades coletivas prioritárias, apontando-se soluções e caminhos que suportem políticas públicas futuras em matéria de ambiente, trazendo ao debate comunidades e territórios.

Reconhecendo que os impactos da crise climática e potenciais medidas de adaptação e mitigação ganham expressões distintas de acordo com as características de cada região e respetivos contextos sociais e económicos, realizam-se várias sessões, descentralizadas, em modo presencial e online. Estas visam recolher os contributos da população local sobre as prioridades de investimento e propostas concretas de investimentos, melhorando e tornando mais robusta a futura proposta do NPV.

Os interessados nesta participação pública podem contribuir de duas formas:

Sessões presenciais abertas: O calendário, locais e formulário de inscrição para as 12 sessões presenciais de participação pública, abertas a todos os interessados – cidadãos, associações, especialistas, autarquias, empresas – estão disponíveis em www.novopactoverde.pt

Participação online: Para possibilitar a participação alargada de todos os interessados que não possam participar presencialmente, é possível a recolha de contributos através do site www.novopactoverde.pt (sem participação por videoconferência)

Depois desta fase de participação pública, seguir-se-á um processo de integração dos contributos recebidos e de elaboração de uma proposta de versão final do NPV, proposta que será oportunamente submetida a consulta pública via Portal Participa.pt.