Passar para o Conteúdo Principal

Câmara investe em iluminações e decorações de Natal

980iluminacoes 1 980 2500
16 de Novembro de 2020

Com as restrições impostas pela pandemia, que limitam o programa de animação, neste Natal a Câmara Municipal de Sines aposta na iluminação das ruas e edifícios e na decoração do centro histórico.

Em 2020, o investimento em iluminações de Natal será superior ao ano anterior e distribui-se pela iluminação de edifícios emblemáticos da cidade e Porto Covo e de pontos nevrálgicos do tecido urbano das duas localidades.

Como em anos anteriores, a iluminação será uma combinação entre estruturas alugadas e elementos decorativos iluminados propriedade do município. Estes últimos passarão este ano a ser mais sustentáveis, com a colocação de lâmpadas LED de baixo consumo em todas elas.

Em 2020, os edifícios a iluminar serão as muralhas do Castelo, os Paços do Concelho, a Junta de Freguesia de Sines, o Edifício Técnico de São Marcos, a antiga Estação de Comboios, as antigas escolas primárias, o ATL “A Gaivota” e a Igreja de Porto Covo.

Serão iluminadas árvores na entrada de Sines, Jardim das Descobertas, Largo 5 de Outubro, Avenida General Humberto Delgado e junto ao ATL.

Junto ao chafariz do Castelo será colocada uma árvore de Natal.

Na cidade, haverá elementos decorativos iluminados nas rotundas da entrada norte, junto ao Pavilhão Multiusos, no Bairro 1.º de Maio, na Avenida General Humberto Delgado, na Rua António Aleixo, na rotunda junto à Escola Vasco da Gama e na rotunda à entrada da ZIL 2.

Em Porto Covo, os elementos decorativos iluminados serão colocados no Jardim Público e no Largo Marquês de Pombal.

Em 2020, para evitar aglomerados, não se realiza a iniciativa Natal no Largo e os concertos associados. No entanto, o centro histórico será decorado como é, habitualmente, para as feiras temáticas, e haverá som ambiente nas ruas.

O presidente da Câmara, Nuno Mascarenhas, explica que “o investimento em iluminações e decorações de Natal é importante para criar um ambiente favorável ao comércio e para que, num ano tão difícil, não se perca o espírito da quadra”.

“A situação epidemiológica que atravessamos limita o que podemos fazer nesta época. Tínhamos planeado para este ano um modelo inovador de animação do centro histórico que, infelizmente, não se poderá concretizar. Neste contexto, decidimos manter a decoração do centro histórico, apesar de não haver feira, para ajudar a dinamizar o comércio. Também reforçámos e renovámos as iluminações de Natal. Apesar de tudo, é importante que o Natal se sinta nas ruas da cidade e Porto Covo.”