Passar para o Conteúdo Principal

FMM 2021: Conheça datas e primeiras confirmações

980muthoni2 1 980 2500
24 de Julho de 2020

A 22.ª edição do FMM Sines – Festival Músicas do Mundo, que deveria estar a decorrer neste momento, irá realizar-se de 23 a 31 de julho de 2021, em Sines e Porto Covo.

Para o festival do próximo ano já estão confirmados 14 artistas e projetos musicais: Ava Rocha (Brasil), Cimafunk (Cuba), Dead Combo & Mark Lanegan (Portugal / EUA), Guiss Guiss Bou Bess (Senegal / França), Lankum (Irlanda), Lavoisier + João Bento (Portugal), Lina_Raül Refree (Portugal / Espanha), Maria João & Carlos Bica Quarteto (Portugal), Marina Satti & Fonés (Grécia), Melingo (Argentina), Muthoni Drummer Queen (Quénia), Pongo (Angola / Portugal), Rizan Said (Síria) e Third World (Jamaica).

Ava Rocha é uma cantora, compositora e cineasta brasileira / colombiana. Conta com três álbuns gravados, o último dos quais "Trança", onde combina referências encontradas no tropicalismo, new wave, pós-punk, samba, bossa nova e música afro-brasileira.

Cimafunk é um cantor, compositor e produtor cubano que promove uma mistura de funk com música cubana e ritmos africanos. Um artista que reúne em si vários afluentes da “música negra” e que tem levado os seus espetáculos a palcos de Havana a Nova Iorque.

Dead Combo é o projeto criado em 2003 por Tó Trips (guitarras) e Pedro Gonçalves (guitarras, contrabaixo e melódica). No FMM, terão como convidado o cantor e compositor norte-americano Mark Lanegan, que colaborou com eles no disco "Odeon Hotel", em 2018.

Guiss Guiss Bou Bess é um grupo formado em 2017 em Dakar por Mara Seck (Senegal) e Stéphane Costantini (França). Apaixonados pelos ritmos senegaleses sabar e mbalax, trabalham-nos de um ponto de vista eletrónico. Acompanha-os o percussionista Babacar Diop.

Lankum foi considerada pelo jornal The Guardian “a banda folk mais convincente a surgir na Irlanda nos últimos anos”. Esta banda de Dublin, formada por Ian Lynch, Daragh Lynch, Cormac Mac Diarmada e Radie Peat, aposta num cruzamento entre folk tradicional e influências psicadélicas.

Lavoisier é o um duo formado por Patrícia Relvas (voz e percussão) e Roberto Afonso (voz e guitarra). Na companhia do artista sonoro e sonoplasta João Bento vão trazer a Sines um álbum conceptual criado em Trás-os-Montes a partir dos poemas e roteiros de Miguel Torga.

Lina_Raül Refree faz uma incursão inovadora pelo repertório de Amália Rodrigues. Lina é uma fadista da nova geração, trazida para este projeto pelo produtor e compositor catalão Raül Refree. Explorar o território de Amália removendo os dogmas instrumentais do fado é o seu objetivo.

Maria João & Carlos Bica Quarteto é o reencontro de duas grandes figuras do jazz português: a cantora Maria João e o compositor e contrabaixista Carlos Bica. Depois de um período longo separados, reúnem-se no FMM com a cumplicidade de André Santos (guitarra) e João Farinha (piano e teclados).

Marina Satti & Fonés introduz ao FMM uma artista de Atenas com ascendência grega e sudanesa. Cantora, autora, pianista, atriz, Marina traz consigo o quarteto polifónico Fonés, que criou em 2016. A sua música é influenciada por sons gregos, balcânicos e médio-orientais, incorporados num contexto urbano.

Melingo é um nome mítico do rock argentino, que aproximou ao universo do tango. Nascido em 1957, em Buenos Aires, é cantor, clarinetista, compositor e autor. Com quase 20 álbuns gravados, a sua música gira entre o rock, o dub, a música clássica, o folclore e o tango, sempre com um cunho artístico muito pessoal.

Muthoni Drummer Queen é a rainha da música urbana de Nairobi, Quénia, país que se vai estrear no atlas musical do FMM. O seu álbum mais recente, “SHE”, gravado na Suíça, é composto por histórias sobre mulheres, contadas sobre uma paleta sonora que vai do hip hop à soul.

Pongo, figura emergente da cena afro com origem em Lisboa, nasceu em Angola, cresceu em Portugal e começa a conquistar o mercado internacional. A sua proposta musical é a de um kuduro progressivo, onde cruza raízes africanas com música de dança eletrónica.

Rizan Said é um prolífico instrumentista, compositor e produtor da música síria, particularmente no estilo de dança dabke. Vive entre Ras Al Ain, no nordeste da Síria, e a Suécia. O seu álbum de estreia a solo, de 2015, tem no título o nome por que é conhecido: “The King of Keyboard”, o Rei do Teclado.

Confirma-se ainda em Sines em 2021 a presença de Third World, um dos grupos de reggae com maior longevidade, ativo desde 1973. Ao longo de mais de quatro décadas, a sua fusão de reggae com elementos de R&B, funk, pop, rock, dancehall e rap valeu-lhes nove nomeações para os prémios Grammy.

Foto (c) Peter Mutuma for Phocus Photography MDQ Artworks