Passar para o Conteúdo Principal

Requalificação da Rua Marquês de Pombal teve início

980rmp2 1 980 2500
10 de Dezembro de 2019

As obras de requalificação da Rua Marquês de Pombal, em Sines, já estão a decorrer. 

Um dos principais eixos de circulação da cidade, a rua encontra-se descaracterizada e pouco funcional para quem a utiliza.

A operação agora iniciada tem como principal objetivo dar mais condições de comodidade e segurança a quem anda a pé, mas também criar um percurso coerente para o fluxo automóvel e dar um impulso à função comercial.

Os novos percursos pedonais serão mais amplos e em pavimento confortável, durável e estável, acessível a todas as pessoas, incluindo pessoas com mobilidade reduzida.

A continuidade dos percursos será garantida pelo reperfilamento da rua "à cota zero".

Os sentidos de trânsito serão alterados para sentido único e serão adotadas medidas que limitem a velocidade para, no máximo, 30km/h.

Na organização dos estacionamentos, serão privilegiados os lugares para pessoas com mobilidade reduzida e para cargas e descargas.

A imagem da zona será uniformizada através de novos pavimentos, mas também de novo mobiliário urbano, árvores e floreiras.

Além da requalificação à superfície, serão renovadas todas as infraestruturas enterradas: água, esgotos, gás, eletricidade e telecomunicações.

Arranque da obra

A empreitada tem um prazo de execução contratual de oito meses, condicionado por fatores imprevisíveis como as condições meteorológicas.

De acordo com o faseamento programado, nos primeiros quatro meses deverá haver obras apenas entre a Praça da República e o Centro de Artes de Sines. A partir daí, as obras decorrerão em simultâneo nessa zona da rua e na zona entre o Centro de Artes de Sines e o viaduto da Estrada da Ribeira (junto à Fripex).

Câmara promoveu sessão para residentes e comerciantes

Sessão de esclarecimento

A Câmara Municipal de Sines organizou a 3 de dezembro, nos Paços do Concelho, uma sessão de esclarecimento, muito participada, sobre a operação dirigida a residentes e comerciantes da Rua Marquês de Pombal.

Na sessão, o presidente da Câmara, Nuno Mascarenhas, sublinhou a importância desta obra em todas as suas componentes, destacando o caráter premente das intervenções nas infraestruturas enterradas, que se encontram em “muito mau estado”.

Nuno Mascarenhas explicou que, tendo a nova rua uma forte componente pedonal, será necessário diminuir o número de lugares de estacionamento. Para compensar a redução de estacionamento, serão criadas bolsas em zonas próximas: mercado municipal, jardim da Boavista e antigo centro de saúde.

O presidente pediu a compreensão dos residentes e comerciantes para os constrangimentos que “necessariamente” se vão verificar durante a obra.

Os condicionamentos da circulação automóvel na área de intervenção irão evoluir à medida que obra decorre, estando a ser estudadas alterações nos sentidos de trânsito de vias transversais para facilitar as cargas e descargas dos comerciantes.

Corredores pedonais para acesso às habitações e estabelecimentos comerciais estarão garantidos em permanência, assim como soluções para veículos de emergência. Os acessos a garagens estarão condicionados ao momento da empreitada.

O presidente da Câmara encerrou a sessão reiterando os benefícios que, quando concluída, esta intervenção vai trazer à mobilidade das pessoas que utilizam a rua e à imagem urbana da cidade no seu todo.

A operação "Requalificação do espaço público da Rua Marquês de Pombal e Praça da República - 1.ª Fase" tem um investimento elegível de 1 266 285,77 €, cofinanciado à taxa de 85% no âmbito do programa operacional Alentejo 2020 / Portugal 2020, com fundos FEDER / União Europeia, o que se traduz numa contribuição comunitária de 1 076 342,90 €.

Logos do cofinanciamento FEDER / UE